Informação para o Paciente

Desafios atuais no tratamento do cancro

A escolha dos fármacos a usar no tratamento de tumores sólidos é baseada nos resultados de grandes ensaios clínicos. Contudo, a eficácia de um determinado medicamento não é a mesma em todos os pacientes. Alguns são altamente sensíveis, enquanto que outros são mais resistentes. A causa exata dessas diferentes respostas é ainda desconhecida sendo assumido que a resistência está relacionada com a estrutura e composição celular do próprio tumor. Com o teste de sensibilidade IndiTreat® é possível prever antes do tratamento qual a reação do tumor a vários medicamentos e suas combinações.

O IndiTreat® – Teste de sensibilidade

O método IndiTreat® funcional baseado em células foi desenvolvido inicialmente para o carcinoma colorretal (cancro do cólon e recto) e auxilia o médico na escolha da terapia médica mais eficaz para um determinado paciente. Para realizar o teste IndiTreat®, uma pequena amostra de tecido é retirada do tumor. Esta amostra que contem células tumorais vivas é colocada num recipiente de transporte adequado e enviado num período de 24 horas para o laboratório 2cureX mais próximo. Do tecido tumoral tridimensional são produzidos microtumores com aproximadamente 300 células. Nos estudos feitos e revelados em inúmeras publicações científicas, foi demonstrado que este método preserva o microambiente do tumor, o que significa que a composição estrutural e as características específicas do tumor primário são mantidas. Assim, durante uma semana, o crescimento dos microtumores é observado na presença e na ausência de vários fármacos. Os microtumores 3D são entãoconsiderados sensíveis ou resistentes a cada fármaco, dependendo do seu crescimento ou inibição. Estudos clínicos documentam que a resposta dos microtumores ao tratamento medicamentoso é comparável à resposta do tumor do paciente. Por meiodesta identificação pré-terapêutica contra o tumor de um determinado paciente, o tratamento ineficaz e os efeitos colaterais associados podem ser evitados.

A diferença entre o IndiTreat e os testes genéticos

Existem várias abordagens para avaliar a resposta de um paciente com cancro à quimioterapia. Até cerca de 10% dos pacientes é possível identificar uma mutação genética de um tumor, permitindo uma avaliação médica apropriada (direcionada). Por outro lado, a resposta clínica a muitos fármacos anticancerígenos não depende da existência (ou não) de uma mutação. As análises mutacionais permitem apenas a previsão de resposta a um único medicamento e não a uma terapia combinada, que é frequentemente usada na prática diária. O teste IndiTreat® é independente de mutações, medindo diretamente a resposta do tumor a fármacos, sejam eles únicos ou combinados.

Sobre a 2cureX e a Lab52

O teste IndiTreat® tem sido usado desde 2006 em amostras de tumor de mais de 1000 pacientes. A 2cureX A/S está sediada em Copenhaga, Dinamarca e desenvolveu o teste IndiTreat® em estreita cooperação com vários centros de cancro. Em 2015, uma subsidiária alemã foi estabelecida em Hamburgo (2cureX GmbH).
Em 2020 foi estabelecida uma parceria de exclusividade para o mercado Espanhol e Português através da empresa portuguesa – Lab52.
Pacientes e profissionais de saúde que estejam a ser tratados ou a trabalhar nestes dois países, deverão contactar a empresa Lab52.

Pagamento do IndiTreat®

O reembolso de medicamentos difere de país para país. Em Portugal, os custos incorridos no contexto da quimioterapia estabelecida são comparticipados pelo estado. Atualmente, o IndiTreat® não é um teste que faça parte do serviço hospitalar estabelecido, não sendo assim comparticipado pelo serviço nacional de saúde. Para obter mais informações sobre a disponibilidade do IndiTreat® na sua área, consulte o seu médico ou entre em contato connosco – Lab52.

Download Brochura

Aqui poderá fazer o download da brochura do paciente.

IndiTreat®

Aproximando o paciente de um tratamento eficaz

Saber Mais

Questões sobre o IndiTreat®

Contacte-nos

Saber Mais